As Eras de Celúria #5 – A Era da Retidão

Inquisição

“O brilho de sua armadura ofuscava a existência de Morin e de todos aqueles que ele amava. O orc instintivamente abaixou a cabeça, em obediência, e ouviu em um misto de apreensão e serenidade as palavras do guardião. Atuando como um salvador do espírito inerentemente corrompido dos gobnóides, Morin viria a conhecer a fé verdadeira naquele dia. Mas também a traição.”

– Fili Baldic. “Sobre a Guerra Pela Verdade

São seis as eras conhecidas pelos humanos:

  • A Era Livre
  • A Era do Império
  • A Era da Conflagração
  • A Era da Ingratidão
  • A Era da Retidão
  • A Era da Nova Alvorada

Os eventos da Era da Retidão são descritos pela Igreja Antariana, uma organização hierárquica formada para cultuar o Sumo Altar e perseguir os pagãos.

A Era da Retidão

Com os reis gigantes mortos, os humanos voltaram a cultuar o Sumo Altar. As pessoas pediam o retorno de Antares e diziam que ele era o filho pródigo do Criador. Um Luso cego chamado Alírio disse receber visões de Antares, e escreveu por ele a obra “A Sagrada Vida de Antares”, que descrevia as eras até então.

Após a derrota dos reis pagãos e a escravização de Arthas, os gigantes começaram a perder sua força e sua inteligência. A guerra ainda não havia acabado com tantos gigantes ainda vivos, mas foi uma questão de tempo. Em alguns anos, sem a presença maligna dos seus deuses patronos, os gigantes começaram a ficar cada vez mais burros, até tornarem-se praticamente animais.

Luda, que tinha forte aptidão para negócios, resolveu por correntes em um gigante capturado e o usou para reforçar as muralhas de seu castelo. O serviço foi tão rápido e as muralhas ficaram tão resistentes que outros seguiram seu exemplo e em pouco tempo os gigantes foram escravizados.

Luda solucionou o problema dos gigantes crescerem sem parar alimentando-os de maneira escassa com frutas e vegetais. Passando fome, os gigantes regrediram de tamanho, mas continuaram mantendo cerca de 4 a 7 metros de altura. O príncipe também descobriu que eles mantinham-se dóceis com essa alimentação.

Nessa era nasceram os Inquisidores e os Segundos Filhos. Estas eram forças militares da Igreja Antariana, garantidas por um acordo entre Tolorsa e Lusia. Seu objetivo principal era purificar os seguidores de Mordecai e os Genanis. Outros povos com cultura pagã também foram purificados. Os Elfos se retiraram para suas florestas densas e subterrâneas, os Licários se esconderam e os Gobnóides se rebelaram. A chamada “Guerra Pela Verdade” foi palco de muitos embates entre humanos e Gobnóides. De um lado, a fé verdadeira de Antares, do outro, os espíritos pagãos da terra abaixo. A guerra durou 4 anos, até a divina intervenção de Antares, no evento chamado de “A Revelação de Morin”.

Antares desceu da estrela mais brilhante de onde vigia e conversou com Morin, o Orc líder do exército Gobnóide. Tão verdadeira é a serenidade das palavras de Antares, que Morin converteu-se ao Sumo Altar de Antares e tentou encerrar a guerra. Em uma confusão, Morin foi covardemente assassinado por Goblins e Trolls liderados por Akrave, o que causou a chamada “Cisma Gobnóide”. Morin era amado e sua morte dividiu e enfraqueceu o exército, que acabou debandando. Mais tarde, alguns Orcs e Goblins viriam a se converter a fé verdadeira.

Quafiro, o Cruel, viria a se tornar rei dos dragões após engolir seus irmãos e cuspir os Kobolds, criaturas que vivem para servi-lo. Por muito tempo, Quafiro foi o único dragão vivo, mas as catástrofes naturais trouxeram outros, que são caçados pelos Kobolds e pelo rei dragão. Até hoje não se sabe as intenções de Quafiro, do porquê ele caça seus irmãos e não ataca o santo reino humano. Acredita-se que ele teme a fúria do Criador e de Antares.

Durante a Era da Retidão a Igreja Antariana esteve em seu auge, controlando todos os reinos existentes até a chegada dos povos euroquianos e platoninos. Toda esta escalada foi feita com muita perseguição e sangue. O livro “A Sagrada Vida de Antares” era a lei, e quem não o seguisse, era punido com a morte.

Aos poucos, a igreja perdeu sua força e a perseguição cessou, pelo menos a primeira vista.

Como sempre, alguns desacreditam nos eventos da “Revelação de Morin“, principalmente os seguidores de Akrave, que dizem que Morin era apenas um covarde que percebeu que nunca ganharia a guerra.


Acompanhe o cenário através do índice e da página do facebook. Até a próxima!

Anúncios

Um comentário sobre “As Eras de Celúria #5 – A Era da Retidão

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s