Regras da Casa #2 – Combates mais letais

640x411_5253_Rune_shield_2d_fantasy_snow_knight_medieval_woods_fight_axe_shield_barbarians_picture_image_digit

Eu nunca fui muito fã de sistemas em que as batalhas se alongassem demais devido aos 300 Hitpoints da criatura ou que os PJs nunca pudessem ser acertados por goblins devido a sua CA absurda. Acredito que esses valores muito altos tornam o RPG monótono e é a forma mais preguiçosa que há de tornar algo, ou alguém, poderoso.

Batalhas que se resumem a 4 ou 5 turnos bem intensos são perfeitas pra mim. Combates que são curtos, mas deixam os PJs devastados. Então, decidi criar umas regrinhas da casa para apimentar o combate e tornar o semblante de “vai dar merda”, comum entre os jogadores.

A principio, pode parecer que são muitas regras para decorar, mas acredite, são bem intuitivas e logo toda a mesa terá assimilado esse conteúdo. Continuar lendo

O Chamado de Chernobyl #2 – Crepúsculo Radioativo

STALKER_lonerApós ter sobrevivido ao tiroteio na oficina mecânica, o Homem Marcado aprende que achar Strelok será uma tarefa mais difícil do que imaginara. Em busca de seu objetivo, ele viaja pelas entranhas da Zona, encontrando o desconhecido e tentando entender mais sobre si mesmo.

Estes contos são baseados na minha experiência com o jogo S.T.A.L.K.E.R.: Shadow of Chernobyl.

Mods utilizados:

Autumn Aurora 2 (Thanatos Touch) 2.1

Boa viagem, S.T.A.L.K.E.R.! Continuar lendo

Regras da Casa – Distribuição de Experiência e Pontos Heroicos

dmNesta novíssima série de posts, trarei para vocês algumas regrinhas que crio para a minha mesa de RPG em um formato mais rápido e curto, sem perder tempo descrevendo a folhagem da floresta!

Hoje, trago-lhes dois métodos de distribuição de experiência para os sistemas D20. Me inspirei para cria-los após uma discussão sobre o assunto na comunidade de D&D Next do Facebook.

Sem mais delongas, vamos as regras! Continuar lendo

10 bebidas fantásticas para você usar em sua campanha

Taverna

Em cenários de fantasia utilizamos como palco de nossas aventuras de RPG vales e florestas sombrias, repletas de monstros. Masmorras gigantescas, montanhas da loucura, planícies infernais e desertos escaldantes. Inexoravelmente os jogadores enfrentam tais perigos, com a certeza de que voltaram a enfrentar terrenos inóspitos.

Mas há um lugar que traga os jogadores com voracidade. Um destino tão certo quanto morte e, segundo o mago Cornwell, tão inexorável quanto o destino.

As tavernas.

Invariavelmente, sua trupe de aventureiros irá para a taverna, seja para jogar conversa fora, elaborar um plano, arranjar trabalhos ou beber até desmaiar. Em um mundo fantástico, é importante haverem bebidas igualmente extraordinárias, afim de dar mais riqueza ao cenário. Às vezes, a própria bebida pode ser um gancho para uma aventura.

Abaixo, algumas bebidas para você utilizar em sua campanha de RPG.

ATENÇÃO: modifiquei o post com a adição do preço estimado das bebidas feito pelo leitor Patrick Escobar.

Para ter uma noção do teor alcoólico dessas bebidas e de como fazer testes para ver ser os personagens ficaram embriagados, recomendo as regras de embriaguez feitas pelo Pep da comunidade do Old Dragon no facebook.

Continuar lendo

Canções de Celúria #1 – O Contrato

Sejam bem vindos a uma nova série de contos do Carisma Zero!

As Canções de Celúria são contos baseados em sessões de RPG do meu grupo neste meu cenário, cujo progresso você pode acompanhar aqui.

Agora puxe uma cadeira, peça uma caneca de cerveja e aprecie a história contada por este humilde bardo que vós fala.

Sistema: Old Dragon (D20).

Personagens:

  • Acácio (nível 5): Euroquiano Assassino. Costuma ser silencioso, observador e muito esnobe. Gosta de criar e pesquisar sobre venenos e seus efeitos. Sua família é composta de ricos mercadores que vivem na Euróquia, mas Acácio esconde sua profissão como mercenário deles.
  • Axell (nível 5): um Licário Explorador dotado de grande carisma e bom humor, que procura resolver seus problemas com diplomacia e acredita que influência é o verdadeiro poder. Foi criado por um nobre torlosiano cujo o filho nutria muita inveja de Axell. Quando esse nobre morreu, o licário foi expulso e caçado. Desde então se vira como pode para sobreviver.
  • Darion (nível 5): Euroquiano Espadachim. Filho de um nobre que auxilia o Benfeitor da Euróquia, ele cresceu aproveitando o dinheiro e o status de sua família até ser expulso de casa com mais de 20 anos. Desde então trabalha como mercenário, procurando brigas e tudo o que vida oferece de bom.
  • Solomon (nível 5): Platonino Mestre dos Vigores. Antes de iniciar seus estudos e experimentações com a arcanita, ele teve uma filha com sua atual esposa, Marie. Solomon, já muito inclinado aos estudos alquimicos, decidiu tornar-se um alquimista a principio para formar uma loja de poções e dar uma boa vida a sua filha, mas inevitavelmente obteve gosto pela aventura.

Juntos, eles fazem parte de uma guilda de mercenários criada há dois anos, porém ainda sem uma sede. Eles a chamam de Lobos de Aluguel – ou Cães de Aluguel, como Darion insiste em modificar – e tem certa fama em alguns lugares.

Floresta

Um estrondo afrontou todos os pássaros que repousavam nas árvores em volta de Joans. O fedor da pólvora incensou o ar por um momento, até ser difuso pelo aroma característico das folhas que começavam a cair naquele fim de verão.

Nunca imaginariam se não tivessem visto, mas Joans, o velho caçador de animais, era notavelmente preciso com sua bacamarte. O tiro jogou o gegani contra uma árvore, pintalgando a casca com vermelho. O segundo deles rodopiava um machado com ferocidade, porém faltava-lhe a destreza necessária para atingir Darion, que dançava em volta do oponente desferindo estocadas de florete pontuais. Foi questão de alguns segundos até um destes ataques perfurar o coração do inimigo. Continuar lendo

Celúria em Jogo #3 – Classes e Especializações

Party

Em Celúria, aventureiros diversos percorrem a terra em busca de aventuras que possam lhe trazer glória, riqueza ou poder. Cada um desses aventureiros são diferentes entre si, mas pertencem a classes distintas.

Abaixo, trago uma singela modificação de classes e especializações feitas para o cenário. Muita coisa do manual básico do Old Dragon foi modificada e outras novas, baseadas em em Especializações feitas pela comunidade, foram adicionadas. Continuar lendo

O Chamado de Chernobyl #1 – O Homem Marcado

Stalker

Nesta nova série de contos, descreverei minha jornada nos arredores de Chernobyl, no jogo S.T.A.L.K.E.R.: Shadow of Chernobyl. Um excelente jogo para PC, lançado em 2007 e desde então amado por muitos que revisitam a Zona através de inúmeros mods lançados. Estou refazendo o jogo do zero, portanto, acompanharemos todos os perigos vivenciados pelo Marked One.

Infelizmente, a resolução que estou usando para rodar o jogo não é das melhores, mas é o que meu monitor atual pode proporcionar.

Mods utilizados:

Autumn Aurora 2 (Thanatos Touch) 2.1

Aproveite a jornada!

2015-01-24_00001A Zona me chama, e eu devo segui-la.

Acordei num porão escuro, mal iluminado por uma lâmpada que dava forma ás paredes de tijolos, a cama improvisada e ao chão de madeira. Meu corpo tremia e implorava pelo total repouso, mas eu tinha que sair dali. De alguma forma, eu sabia disso.

Merda, eu não sabia meu próprio nome, nem de onde vim.

Mas sabia que estava na Zona. Sabia que tinha que matar Strelok. Continuar lendo

10 doenças para você usar em sua campanha

karla_ortiz_concept_art_02-680x494No RPG tentamos emular uma realidade que se assemelhe a nossa, porém com divergências místicas. Muitas vezes são cenários comuns a história da nossa realidade, mas com um gosto de “e se houvesse magia?”.

Nossas aventuras são feitas em cima de acontecimentos fantásticos, porém com o dedo mindinho da realidade cutucando os personagens, com limitações básicas que afetam qualquer herói, como o sono, a fome, a exaustão física e mental. Muitas vezes, lembramos apenas dessas questões quando os personagens enfrentam ambientes extremos, onde se faz preciso vencer inúmeras adversidades para sobreviver. Essa é a hora em que o mestre abre um grande sorriso no rosto e diz: “faz uma jogada de proteção modificada pela Constituição”.

É ai que entram as doenças!

Como o RPG tradicional possuí um cenário fictício repleto de raças, monstros e animais exóticos, acaba tornando fácil contrair algo um pouco mais pesado que uma simples gripe.

Abaixo, uma pequena lista de doenças para você utilizar em seus jogos de RPG, criadas com base em sistemas D20. Continuar lendo

Reinos de Celúria #4 – Torlosa

Torlosa

“Que não lhe careça fé; Que não turve sua iluminação.

Que não lhe falte compaixão com os fracos; Que atue severamente com os injustos;

Que os olhos de Antares sejam o seu farol; Que a bondade seja sua motivação;

Proteja-nos de tudo o que afasta da verdade, guardião luminoso;

Erga-se perante o mal; Submeta-se ao Criador.”

– Patri Ladósio. “O Código dos Inquisidores

Breve História: quase todos os torlosianos acreditam que são descendentes direto da Primeira Família. Há debates sobre de quem eles descendem, se do Filho, Filha ou da Semente, mas todos eles concordam que Torlosa existe pois o Sumo Altar existe. Esse cenário permite a fortíssima atuação da Igreja Antariana sobre a política local, governada por um Patri e um Sumo Senhor. Continuar lendo

O diário de Argos Lockard #1 – Primeiro Dia

Gunslinger

Sistema: GURPS 4ª Edição – Ambientação Low Steampunk

Personagens:

– Argos Lockard (75 pontos; “Ladrão Atirador”)

– Beric Lockard (75 pontos; “Paladino”)

– Thorny (75 pontos; “Guerreiro”)

– Hundel Rauls Cody (75 pontos; “Mago”)

– Alastor Fletcher (75 pontos; “Clérigo”)


Meu nome é Argos Lockard.

E eu me sinto um idiota escrevendo aqui.

Este é o meu diário, onde escreverei coisas interessantes do meu dia. Talvez virem canções, huh?

Comprei esse diário achando que era um livro erótico ilustrado. Um Hafling me vendeu no distrito sub-transital em Newsforge. Dei as moedas antes de visualizar todo o conteúdo, então o ladrãozinho começou a correr. Apenas as primeiras páginas possuem ilustrações e um texto nada convincente. O restante está em branco.

Beric riu de mim por isso.

A capa é feita de couro e coberta com veludo púrpura. No centro, em alto relevo, há a forma de uma mulher esbelta, com coxas grossas, uma perna esticada e a outra com o joelho dobrado. Ambas as pernas bem separadas, um convite a entrada. Como eu iria imaginar que por baixo daquele conteúdo não existia mais 100 páginas de profanidades e perversões? Continuar lendo